quinta-feira, 19 de julho de 2007

As incríveis aventuras de João Ninguém.

Começou.
Não se sabe ao certo se foi aqui ou acolá, o certo é que a vida de João começou e foi assim:

Em algum lugar não muito distante de qualquer outro lugar havia uma casa verde e nela morava uma espécie de flor que era até um pouco rara e não se sabe se por banalidade ou por ser um paradoxo, a espécie de flor em questão se chamava Flora.

Flora que foi mãe de João.

Em uma manhã de sol, que também chovia, uma manhã de domingo.

Domingo, primeiro de Abril de um ano não especificado, nasceu João.

Que nasceu diferente de todo mundo, ou diferente de outros João. Esse não tinha um pé de feijão, nem era irmão de Maria, mas era filho de Flora, era isso que ele sabia.

João nunca falou uma palavra, mas não era porque ele não sabia. Era porque ele não via necessidade de falar com pessoas que não o entendiam, mas tudo mudou um certo dia.
Ele era profissional em viver sem ser notado, tanto que ninguém notou quando ele foi embora para nunca mais voltar.
Mas para muitos, isso tanto fazia.

E para Flora a vida continuou.

Naquela casa verde.
Naquela mesma rede.
Onde João nasceu um dia.

E João se foi, não para o céu pois ainda era cedo, mas ele se foi para ver o que tanto escutava as pessoas falarem, ele se foi, para o futuro.

Quando João se foi, ele não era mais Joãozinho mas também não era João, não ainda, não agora.

E ele se foi, com sua pele clara e sua calça escura, ou talvez sua calça clara e sua pele escura.
Não se sabe ao certo, mas é certo que ele foi.

-

A partir de agora serão escritas as incríveis aventuras de João Ninguém que tiveram origem da poesia que escrevi um certo dia
A incrível estória de João Ninguém.


52 comentários:

MaxReinert disse...

... hummm... que interessante este texto.... vamos ver como continua!!!
bjzzzzzzzzzz

César Fernández disse...

Que lindo!

[ansioso pelos próximos episódios :P]

Lua disse...

Hmmmm... como disse o César a cima... ansiosa tambem...
muito bom a forma... escrita... jeito e João... beijos

empty disse...

perfeito.
=)

aqui no serviço não tenho muito tempo...
depois passo pra ou tro café...
este está fresquinho, posso sentir o cheiro.
ah sim...
não precisa se desculpar por nada, moça.
inté, lua.
=)

aquele texto...
escrevi há tempos, por outros motivos...
eu postei apenas pra...
digamos, ver se eu melhoro em anguns aspectos e para pra pensar sobre o que vale ou não apena...

concordo em pontos com o que vc disse, me escondo muito, às vezes até mesmo atrás de um sorriso...

=0)

um alguém disse...

um café, sem açúcar.
nasceu aqui, dentro de mim, uma maria alguém - depois da morte do joão ninguém. nada muito sugnificativo, mas que me fez voltar e, por enquanto, ficar.
adoro suas escritas. gostaria de ter o dom de escrever histórias, assim. ;*

Abel disse...

Interessante este João ...

hum... disse...

Quando joaozinho virar joao me avisa...
=**********

Gabi disse...

hehehe

uauu

Vai virar um curta, ou uma novela ou um documentário?

avise-me

e Vê-se vem mesmo hoje pra cá ;D

adorei³ mesmo

Na realidade tá parecendo Literatura de Cordel

te amoooooooooooooooooooo,autinha

;*

Abel disse...

Oi,
Fiz um novo post, depois da uma lida lá ....

JULIANA SILVA disse...

Teu texto me lembrou um pouco aquela musica de legião "faroeste caboclo".

será que todo João é guerreiro?
pelo menos os que eu conheço ou ouvi falar são.

aguardando as próximas e incríveis aventuras do João...

;*

Marco Schiavo disse...

E quantos Joões(plural de João) Ninguém você já viu por aí?
Aqueles que não notamos e nem sentimos falta quando não estão presentes. Aqueles que você vê no ônibus e de um dia pro outro não vê mais, e nem fazem falta. São pessoas que escolheram um caminho diferente, um caminho só seu.
Beijo.

Pam disse...

quero ser q nem o joão! =)
(mas com final feliz,será?)

=**

hélder disse...

vai virar um livro!

tô esperando mais capítulos!

xD
x*

keetby. disse...

que coisa mais linda; tu que escreve mesmo?
realmente é muito bom..
voltarei a passar por aqui mais vezes..

um beijo :*

Julio Moraes disse...

Belo conto. Como já falam alguns por aqui. Aguardamos a continuação.

Parabens.

Beijos,

Julio Moraes.

renato disse...

essa gosta de pintar minha mente ein!

Anayar disse...

ui, eu tenho medo

Dani Torres disse...

A "epopéia" de João...


espero que n tenha fim!



Bjus

Antonoly Maia disse...

Vou aguardar a continuação da saga do João, adorei esse texto.
Beijos!

um alguém disse...

desiquieta, sou por demais.
não consigo ser uma só, fazer uma coisa só, estar num lugar só. por isso a necessidade de ser um algué.. nem que seja por alguns instantes e para encobrir um único heretônimo ;]

Mariana, perdida em si mesma disse...

esperando pelo futuro do João ninguém que passa sem ser notado mas cativa o coração de muitos...
Beijos

Claudia Lis disse...

“Ele era profissional em viver sem ser notado”

O João ainda não descobriu onde ou quando valerá a pena que ele seja notado.
Mas um dia, ah um belo dia, creio que ele terá a oportunidade de demonstrar de alguma forma a essência desse João.

Quero os próximos capítulos. Tem mais?

Beijos

Fernanda disse...

Ai ai...esses cafezinhos me partem o coração...me lembram o João Ninguém da minha vida.

Bjosss

david santos disse...

Estou solidário com o povo brasileiro neste momento tão TRÁGICO. A vida só nos permite dois termos: a felicidade ou a infelicidade. Desta vez, quem mandou foi a segunda. Que a vida continue feliz para os que ficam.
Até sempre

Mila disse...

faz um liiivro!!

esse texto me lembrou muito a história de antónio, no livro/filme "A máquina"!

saudades de voce menina sumida! ;*

subby disse...

joão, quase sempre despercebido..
joão que quase não tem amigos, que quase não tem momentos... q eh tão ngm... ainda vai dar uma bela história.

, disse...

e eu gosto das historinhas de joao ninguem.

qual será o destino de joao?

veja no prox capitulo...

=**

Long disse...

muito bom!!

Abel disse...

=]
=*

Abel disse...

Post pra ti ...
Dá uma olahda ...

Soturno disse...

Eu tenho um pouco desse joão...

Beijos

ALF O Extasiado disse...

Miha Menina, tu quer me matar do coração.
vou ser franco, está simplesmente estupendo. Maravilhoso. As palavras, a sinuosidade de cada linha. Nossa, incrível, sem contar o enredo, envolvente, criativo.

Nossa, parabéns viu, eu achei divino, muito lindo.

qu daí venham muito mais poesias sim. a gente agradece.

O melhor café de todos os tempos.
Adorei.

=]

Beijos

Mário Márcio disse...

como o João existem centenas de milhares de pessoas que passam a vida sem ao menos existirem de verdade. e ser feito na rede deve ser legal.
hehe

Rickie disse...

Como serão o desfecho (ou não) da história de João ...
tomara que pelo menos seja notado ...

Bjus !!!

THiago RangeL disse...

quero ler o próximo...

=]


muito bom..


as rimas ficaram cantantes......mto bom..beijo

Menina Lunar disse...

Adoro o lirismo, o ritmo, a música tão peculiares aos teus textos.
As letras do post dançam diante dos olhos, com uma magia encantadora. Enfim...
A melhor "prosa-poética" que já vi.
talvez seja esse o ingrediente principal do café, e por isso ele torne-se sempre tão inesquecível.
Continues assim fantástica.
Beijos!

Johnnatan disse...

Nuuuuuuuuuuuu



esse seu texto foi um tapa na cara! muuito bom!

Mary Ienke disse...

Nada como ouvir boas histórias e ainda tomar um cafezinho!
Amei o jeito de escrever a vida de João!
bjaum;*

Jovem disse...

esse blog aqui é em nome de uma causa muito importante: fazer juz às metas de mudar o mundo e conserva-lo
aqui é diariodeella.blogspot.com ;D
e eu queria saber se tu pode contribuir com algum texto pra gente postar
pq é um blog só pra jovens mesmo.
quer dizer, tem também os jovens de espírito, mas é outro caso ;D
siiim. então, voce escreve , se puder falar pro resto do povo dos blogs, tipo, fazer um textinho e sair colando na paginca de cada um seria uma boa.
é serio, voce vai gostar.
a gente unido pra transformar o planeta ;D
tou te pedindo este favor pq eu tou entrar muito na net. e eu sei que voce tbm, mas eu nao falo muito com seus contatos, então, qqr ajuda é bem vinda o/

CH disse...

Gostei de ler o desenrolar inicial das aventuras desse tal João Ninguém, que se parece com tanta gente conhecida...tanta mesmo!
João cidadão do futuro...
Levando seu silêncio de ouro.
...
Café servido e bem sorvido :]
Abraço.

david santos disse...

Estou solidário com o povo brasileiro neste momento tão TRÁGICO. A vida só nos permite dois termos: a felicidade ou a infelicidade. Desta vez, quem mandou foi a segunda. Que a vida continue feliz para os que ficam.

David Santos

Lia Noronha & Silvio Spersivo disse...

Vc tem talento...adorei!!
Vou te linkar no meu Cotidiano,ok?
Abraços mil.

diovvani mendonça disse...

"Naquela casa verde.
Naquela mesma rede."

É certo, sim, que aqui sempre um gol de placa; "balanGUE" na rede.

MontanhosoAbraço, pra você Menina do Reggae que sempre rega na minha cabeça boas imagens-poéticas.

Jeniffer Santos disse...

atualizaaa com esse café fresquinho de JOão.

\°/
beijos!

empty disse...

saudades tbm!
=)
ps: adorei a foto...
heheheh
nariz!!!

Bruno disse...

Se for para inspirar essas palavras tão lindas, até que ser João ninguém não é tão mal.

Muito obrigado pela visita no meu blog. Já virei leitor cativo do seu.

Lais Mouriê disse...

Doida para ler os próximos capítulos da aventura do Joao Ninguém...

Lindo lugar esse blog!!!

Bjus

atrás da porta disse...

então, viva joão!

bjs.

Uma pergunta disse...

sabe,mesmo sem ter nada haver(ou até tenha e eu n descobri ainda o pq) lembrei imediatamente de filme q assisti esses dias - A vida secreta das palavras -pessoas que vivem com o seu silêncio tem um mundo a parte,uma lua,um céu,um mundo diferente onde o silêncio tem voz.É preciso quebrar essa barreira do silêncio pra viver no mundo real.
Parece q joão ninguem fez o caminho inverso deixou o mundo real para viver no seu mundo onde o silêncio é a voz.O silêncio é porta de entrada para o seu mundo particular.
Beijos,moça!
=*

Dani disse...

Acho que o jõao deve ter muita estória pra contar nesse mundão de meu Deus.
bjoooo

luiz disse...

É legal lembrar o jeito q vc narrava, em forma de conto mesmo. Há várias formas de se ler um texto, o jeito q vc leu caiu legal..

Achei interessante a ideia de fazer um curta com ele. Eu o vejo andando num caminho aberto e sua vida acontecendo, na chuva, na casa, no domingo...

Sempre achei descrever as coisas algo difícil, apesar de teoricamente ser mais simples do q dissertar. E principalmente em textos, q precisa haver uma seqencia e relação com o q se conta. Tu dissertas de uma forma simples e q se encaixa bem. Alguns autores separam os parágrafos e momentos exclusivos para tal, por isso tb alguns q são fixionados em descrever são tão cansativos.

Me fascina realmente a forma como vc inverte as palavras, a alternância entre vários sentidos..nem sempre é facil..

Sabe, é tão complicado colocar pra fora o q se pensa as vezes. Isso eu tô me referindo a falar, imagina escrever??.. ou talvez seja falta de costume mesmo..

Mas, o q me intriga em vc, não é a habilidade com as palavras, mas sao suas idéias.. sabe, são instigantes e incomuns. Já havia ouvido Ênio falar algo sobre isso, mt rapidamente. É uma pena q seja tão difícil extrair esses pensamentos seus.

Enfim, longe das inconviniências do domingo, espero q ce tenha entendido q eu nao qeria mt, apenas conhecer...
No meio de tantos museus de grandes novidades, é importante dar valor ao novo...

Espero nao ter falado tanta água suja aq, releva q sou leigo demais..

E se não der no sábado, tenta pelo menos no domingo, que o pessoal vai fazer barulho lá na creche.



ps: Qt a minha sombra, eu conversaria com ela pra saber o pq q ela está fazendo isso ou jogaria uma verde no seu amigo pra saber o q acontece..


o/

Antônio Alves disse...

Que delícia de café, menina! Gostei muito de sua prosa, sem compromentimento com a linearidade da personagem, espero ansiosamente outro capítulo de nosso João.

P.S.: Você é muito elegante, moça! Adoro sua imagem como aquela que não está nem aí para nada. Beijos!


Antônio Alves
No Passeio Público
Postagens às quartas e domingos