sexta-feira, 13 de julho de 2007

Samba, circo e solidão.

Ela chegou ao fim da linha.
Dela não conseguiu passar, também não queria voltar, resolveu apenas esperar.
Puxou uma cadeira de uma mesa imaginaria, sentou-se.
Instantaneamente uma música de fundo começou a tocar, ela reconheceu o samba que seu avô lhe cantava quando pequena.
Um sorriso brotou-lhe nos lábios, e como se estivesse vendo da platéia de um circo, no picadeiro o espetáculo estava prestes a começar.
E começou.
Como quem chega sem ser convidado numa festa lá estava ele, o passado, que se mostrava ao mesmo tempo pavoroso e encantador.
Ela não sabia quanto tempo havia passado ali, mas era certo que já era tarde.
Mergulhada em seu próprio espetáculo se assustou ao sentir algo a tocar seu ombro e ao olhar para trás se deu conta de que estava olhando pra frente, o futuro lhe chamava a um passeio, notou que o fim da linha era agora o começo.

.

- Olá.
- Au Revoir.

- Espera.
- Estou atrasada!

- Me espera?
- Não posso.

- Tem certeza?
- Não sei.

- Hesitou.
- Acertei.

- Procurou?
- Encontrei.

- Esqueceu?
- Tentou?

- Café?
- Sem açúcar, por favor.

- [Ele sorriu].
- [Ela também].

45 comentários:

Pare & Pense disse...

aewww.. primeraoooo
huhulll \o/\o/\o/

parabens mais una vez... mais mil vezesss...

tu eh incrivel como tem facilidade de brincah de escrever... tu brinka... tu eh d maisss

faz a gente sentir sdd das coisas.. faz a gente ser perte de sua escrita.. obrigado pelo privilegio... de coração msmooo

bjooo garotaaa
parabenss

Abel disse...

Isso daria um belo samba ^_^"

ficou mto massa!

=D

=*****

JULIANA SILVA disse...

Muito bom o texto...

Se o futuro não me cutucasse à toda hora eu acho que não sairia mais do espetáculo do passado.

É tão ruim acordar de um sonho bom...

;*

Milla Loureiro disse...

Isso foi um convite?

adorei...

=)

Menina Lunar disse...

parabéns novamente pela beleza, lirismo e poesia tão cativantes...
vc sabe como fazer as palavras de um texto dançarem na tela, tocarem a alma...
perfeito viu menina?
e viva o samba, as lembranças e um bom café =P
bjo bjo bjo

Soturno disse...

Gostei!
Realmente, em conjunto...

O café, além de sem açúcar, quero bem forte!

Beijos

Mário Márcio disse...

gostei do final:
- [Ele sorriu].
- [Ela também].

não gosto do passado, gosto do futuro, e quem tem a vida doce não precisa de açucar no café.

César Fernández disse...

Que lindo, nossa!
Isso chega a ser uma ofensa aos outros que se julgam escritores...

Parabéns^^
Mais um belo post, aliás, belos posts são a única coisa que se encontra aqui!

Bjos^^

Marco Schiavo disse...

Muito bom...
"E se um dia sentir-se cansado por estar no seu limite, siaba que apenas começou".
Grande beijo.

ALF O Extasiado disse...

O futuro nos convida sempre a dar um passeio. Nossos sonhos, nossas metas, ele apresenta tudo isso, possibilidades, escolhas, caminhos.
Acima de tudo ele é benevolente, respeita qual caminho vamos tomar. ele sempre irá junto.

Durante o passeio a gente decide. E quando chega a hora o futuro se torna um presente.

A plenitude toma conta de nós.

Lindo, mas belíssimo texto mesmo.

Me encantei com o café.

(suspiro)

Beijos menina.
Continue fazendo cafés deliciosos.

=]

Mila disse...

do caralho.

te garanto que esse foi um dos melhores que já li. genial lua ;)

será que eu já to perto dessa linha? o.O

beijo nas crianças!

MaxReinert disse...

eeeepa!!! que blog legal... parabéns!!! Vou voltar mais vezes, com certeza!!!!!

empty disse...

uau...
tudo muito belo e lírico por aqui.
lindo layout...
belos escritos...
genial o título do blog.
parabéns.
"eu quero um samba pra me aquecer..."
sambo, logo existo!
=)

Fernanda disse...

Eu quero é que o presente entra em cena. Mas o passado e o futuro insistem em aparecer no picadeiro...esses palhacinhos...

Bjos!!!

regi disse...

ainda bem q ela descobriu q a linha nao acabou \o

Alê Namastê disse...

Amo os cafés servidos por aqui...
Bom fim de semana!

, disse...

viajei aqui agora...

muito bom

sem palavras

rsrsrsrs

olhar pro passado a espera de um futuro bom... talvez?

Long disse...

gostei de seu blog!! bem poetico!!

renato disse...

só queria morrer numa batucada.


















parabéns minha irmã.










que nossas linhas sempre se cruzem.

Jeniffer Santos disse...

olha eu aki p tomar esse cafezinho!
amei o txt,alias seus txts são otimos!
beijos
bom fds!

Mariana, perdida em si mesma disse...

percebi que a volta ao passado, a infância é um tantinho recorrente nos seus textos..... ah, mas lembrar dos bons momentos do passado é realmente maravilhoso,, a gente tem que se policiar um pouco pra não se perder muito em lembranças... e futuro... desse eu não sei
Mais um lindo texto.
Também tenho texto novo, http://dedentrodacaxola.blogspot.com
Obrigado pelo café!

Claudia Lis disse...

Demorei né? Quase chego para um “Café da Madrugada”! Mas já estou aqui!

Me vi totalmente nessa frase:

“Dela não conseguiu passar, também não queria voltar, resolveu apenas esperar.”

Às vezes eu simplesmente não consigo passar adiante, mas também não quero retroceder, perdendo tudo que já conquistei. Então também resolvo apenas esperar. Mas sabe de uma coisa? Eu não me sinto bem em esperar, pois sinto que estou perdendo tempo. A busca é sempre uma boa opção.

E mais uma vez, fico contente em voltar aqui e contemplar suas belas palavras.

Beijos

atrás da porta disse...

...Talvez por medo ancorar no passado e usá-lo como porto seja mais fácil... Soltar as amarras da proa e deixar navegar pelo novo é acreditar que ele virá em bons ventos...O passado não pode ser tão somente um barco fantasma, os erros e acertos não são estáticos, o tempo faz tudo mudar de lugar, re-experimentar pode ser a chance de felicidade escondida.

Gostei do texto, pena que meu tempo tem sido curto para leitura e café. Passar por aqui é sempre um prazer.

Olhe atrás da porta,
Bjs.

THiago RangeL disse...

o diálogo força o leitor a ler mais rápido...
como se na verdade...um personagem quisesse ir...e o outro tentasse impedir..mas isso em poucos segundos..

muito bom
um beijo

empty disse...

adoro fotos em branco e preto, lindas imagens por aqui.
confesso que há tempos não me arrancavam um sorriso.

estou curando uma ferida, talvez várias e ensaiando um possível retorno; não faz idéis do tanto que teu livro me incentivou...

visitarei sim, sempre o seu...
posso dizer - café com letras, espaço lírico e belo.

"sempre é bom ter alguém pra conversar"
e melhor ainda é ser surpreendido com tanta gentileza, coisa rara.

Espero que esteja sempre assim [inspirada].

"esse comentário é o único que eu não quero terminar com um Au Revoir."

ps: são sim os meus pés na imagem do blog...
Pés descalços
mãos vazias
alma leve
coração cheio
sorriso ausente
olhar guardado
orgulho ferido
poesia não vivida
lágrima súbita
passos sem história
sonho incoercível
às vezes realidade...
...espera.
inté.

empty disse...

você conseguiu sim, adoçar o café...
torrão adicionado.
=)

"mas um torrão e um sorriso ajuda a melhorar"

Espero que já tenha dado o abraço e o beijo em tua mãe...
palavra forte não?
Mãaaaaaaaaaae.

Também esqueço as letras...
aí entra em cena o virundum, tem um muito bom...

Faroeste Caboclo, Legião Urbana
"É melhor o senhor sair da minha casa, NUM CABRITO COMO PEIXE QUE ASCENDESTE ESCORPIÃO..."

... e como é bom a gente poder se divertir com isso tudo.

ah sim - adorei o "e ficou tudo fora do lugar dança sem ritmo, música em par"
=)

"que tal para o figurino um nariz de palhaço, não que você seja um, mas quem sabe um nariz ou talvez um chapéu coco.

imitando talvez quem sabe o cômico bebado da música o bebado e a equilibrista."

você me arranca sorrisos mil!

tenho um apeça escrita, por coincidência...
ainda está no papel, se quiser posso te mandar, se prometer não me zoar.
=)

será bem vinda com teu violão também pra um rock ou uma roda de samba...

"Pés calçados
Mãos macias
Coração médio
Sorriso aparente
Olhar perdido
Orgulho salvo
Poesia em movimento
Lágrima contida
Por causa do riso
Pegadas no chão
Sonhos e solidão."

heheheh, adorei.

ps: desconsiderado.

inté.

você tem msn?

abraço.

adorei os livros.

=)

empty disse...

uia...
agora que vi lá em baixo do blog:
Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain.
clássico.

ps: pq perguntou sobre os pés?

=)

Gabi disse...

Sério

vai ter alguma coisa que eu vou ler aqui e não gostar?

Lindo,lindo

faz você pensar na sua trajetória,na vida...

acho que eu tô sentaa bem no passado e quando o futuro chega e me chama eu digo pra ele passar amanhã.

Really,really.

Muito delicado

te mo!

;**

MH disse...

Queres tocar alguma coisa para mim?

Tive um amigo em Leiria que toca viola... E como tocava...

Múcio Góes disse...

Vim, vi, gostei, degustei teu café, voltarei.

tks!

bjs.

empty disse...

heheheh.
Dante Alighieri, que a iniciou provavelmente por volta de 1307, concluindo-a pouco antes de sua morte (1321).

a obra é um poema narrativo rigorosamente simétrico e planejado que narra uma odisséia pelo Inferno, Purgatório e Paraíso.
corra lá pra pegar o filme.
eu estava dividindo por etapas o comentário pra responder o teu...
mais tarde respondo direitinho.
=)
ah sim...
eu não tenho orkut.
inté
já volto

empty disse...

deixa eu pegar um fôlego...
agradeço tuas palavras...
com certeza vou querer ver os livros.
a parte que tens da Divina Comédia penso que é a do Paraíso.
Os três livros que formam a Divina Comédia são divididos em 33 cantos cada, com aproximadamente 40 a 50 tercetos, que terminam com um verso isolado no final...
é muito viagem...

=)

Concordo que Pequeno Principe tenha se torna clichê total, peincipalmente quando perguntam pra artistas: qual teu livro preferido?
aí eles param pra pensar e...
mesmo não tendo lido...
Pequeno Pirncipe, é claro.
heheheheh.

Tudo o que fazemos por nossas mães é pouco mesmo pelo que sempre tivemos em troca.

Roda Viva...
obra prima, chicão dispensa comentários, não é?!?!

moça de extremo bom gosto também, logo percebi que não é a menina somente do reagge.
heheh.

caramba que lista ótima, amo muito esse universo também.
"Nelson, Adoniram, Demônios, Lupicinio, Ataulfo, Noite Ilustrada, Jamelão, Cartola, entre tantos outros..."

confesso que fiquei curioso com o "pé".

=)

samba inspira sempre né.
meu gosto musical também é um bocado extenso.

"Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas rodas do meu coração..."

Au re...

ops...
heheheh.
inté.
penso que consegui responder tudo...
sou péssimo pra essas coisas.

empty disse...

ah sim...
está add.
vejamos depois se deu certo...
=)

empty disse...

to rindo mito aqui...
pantufas, digo, sandálias.
heheheh.

*ZYKY*___________________ disse...

IAuIAuIHAuhIHAuHIAhhUAHiHUAhiHUahiH

sem comentários...



flows!!!!
beijos!!!!

subby disse...

no meu circo, passado e futuro sempre influem muito tbm.. e até agora estou gostando das atuações.. na verdade do passado.. pq o futuro não existe.

muito bom..


*:

Fiorina disse...

Oi moça, muito legal o que você escreve aqui!

um abraço!

Mary Ienke disse...

Oi! Achei teu blog lah na comunidade, e lendo seus textos não podia deixar de comentar!
Parabéns!!!
=)

CH disse...

Ooopa...chegando para mais um café.
De xícara cheia, e com açúcar, evidentemente.
Obrigado... :]
O texto ficou a contento, sim.
Brincar com as palavras é muito salutar. Imaginação em alta!
Abraço

Johnnatan disse...

Uau!!!
Muito bom!


Me lembrou uma música do Chico, "Sinal Fechado". Não falam do mesmo tema, mas simplesmente me lembrou.

Alice disse...

Quem não se sentiu assim pelo menos uma vez na vida? Muito sensível e verdadeiro. Profundo mesmo.O meninodolho viu e me contou sobre esse blog mas é melhor do que eu pensava. Adorei. Quero recomendar um blog que é de uma pintora também muito sensível, o www.JayrTherezinha.blogspot.com, e o blog do meninodolho, o www.meninodolho.blogspot.com, que é muito divertido. Alice

empty disse...

Meu Quintana, os teus cantares
Não são, Quintana, cantares:
São, Quintana, quintanares.

Quinta-essência de cantares...
Insólitos, singulares...
Cantares? Não! Quintanares!

Quer livres, quer regulares,
Abrem sempre os teus cantares
Como flor de quintanares.

São cantigas sem esgares.
Onde as lágrimas são mares
De amor, os teus quintanares.

São feitos esses cantares
De um tudo-nada: ao falares,
Luzem estrelas luares.

São para dizer em bares
Como em mansões seculares
Quintana, os teus quintanares.

Sim, em bares, onde os pares
Se beijam sem que repares
Que são casais exemplares.

E quer no pudor dos lares.
Quer no horror dos lupanares.
Cheiram sempre os teus cantares

Ao ar dos melhores ares,
Pois são simples, invulgares.
Quintana, os teus quintanares.

Por isso peço não pares,
Quintana, nos teus cantares...
Perdão! digo quintanares.


Manuel Bandeira.

inté

Alê Namastê disse...

Ainda não tem café novo?!
Beijos*

mitro disse...

O apreciador não põe açucar no café.
Será que para apreciar a vida, ela não deve ter doçura?

empty disse...

"A sorrir
Eu pretendo levar a vida
Pois chorando
Eu vi a mocidade
Perdida"

Sou cartolicista de carteirinha.
agradeço as palavras, depois respondo melhor, estou no trampo.
=)

bjos.

inté.