segunda-feira, 24 de março de 2008

Desespero.

Pagou a conta, foi embora.
O pôr-do-sol levou junto as cores do arco-íris, a noite a realidade sempre volta, preto e branco.
Fechou os olhos, um turbilhão de tons que sempre acaba com o preto, solidão.
Muitas passaram, nenhuma ficou.
Acostumou-se.
Acomodou-se.
Mais que tudo, desistiu.
A última esperança partiu, no sorriso dela.
Abraço apertado, saudade, ela também passará.
Diferente de todos, cansou.
Fechou os olhos novamente, atravessou a rua, nunca mais voltou.