segunda-feira, 12 de maio de 2008

Carnaval.

Não faço parte de mim, joguei-me fora junto com as coisas velhas do quarto, junto com a saudade. A máscara de tão pesada tombou ao chão, ao olhar no espelho não consegui saber quem eu era. Só lembro do que fui. Agora apenas fragmentos de quem um dia já foi grande. Hoje não passa de palavras borradas num papel, palavras que no sentido levam junto uma porção de sinestesia.