segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Amarelo.



-

O mundo que havia dentro de mim, o trânsito caótico que corria em minhas veias explodiu.
De uma vez só, e sempre.

-

De repente, tudo o que ele não queria que o silêncio soubesse veio a tona, caiu a máscara e as fichas.

Uma sensação indescritível, inexplicável.

Sentiu uma mistura intensa de timidez, vergonha, e talvez até um pouco de alegria.

O mundo girou e ele caiu em um lugar escuro, misturado de lembranças.

Saiu à rua, sorrindo, nem percebeu quando atravessou o sinal aberto, também não ouviu as buzinas do carro. Falou sozinho enquanto andava, gritou sozinho, enquanto todos paravam, sorriu.

Um sorriso largo de uma timidez profunda.

E o mundo nunca mais girou no eixo certo.


12 comentários:

Jaya disse...

Vim prosear, contigo. Que eu adoro isso de café na porta. De papo que não acaba. De ver o movimento. De fazer poesia com os olhos, e transformá-la em beleza maior, com palavras.

E foi isso que notei nas palavras de hoje, Lua. E da maneira como você coloca, me possibilitou desenhar. E me encontrar. Nessa de implodir-se. E dos efeitos instantâneos que se enraizam.

Fico pensando: fora do eixo, quem sabe as coisas não se encaixem?

Um sorriso pro universo, então.

Te beijo, com carinho.

P.S.: Te levo para o meu canto, e deixo a janela aberta. Venho te espiar sempre. (:

Míope disse...

Sempre bom ter esses surtos e até descobertas. A vida fica mais íntima, já não é uma estranha.

Bom demais, como sempre.
;D

Rafael Velasquez disse...

eu sou teu fã, você não sabe.

Will disse...

Coisa linda esse blog! Encantei.
Um beijo

Eolo, Senhor dos Ventos... disse...

Sinestésico... Como sempre.
É bom vê-la escrever de novo.

_


Sentimentos se confundem no ir e vir do dia-a-dia. Sorrisos de tristeza, lágrimas de felicidade.
Talvez, o mundo nunca tenha girado no eixo certo. Mas gira, gira mundo, gia estrela.

Um grande abraço.
Obrigado.

Pequena Kah disse...

Ahh Lua, descobri o motivo dos milhares de elogios. Me encontrei lendo você também.

"Sentiu uma mistura intensa de timidez, vergonha, e talvez até um pouco de alegria." Perfeito.

Você escreve tão bem, puro sentimento.

Agora eu voltarei sempre.

BEIJO.

Thiago disse...

é.. mais uma vez e sabe? Talvez não seja bom tudo voltar aos eixos! A mesmice cansa um tanto.. deixa como estar.

indescritível, inexplicável, é como tu escreve.

sinto sempre. beijo apertado :*

Lais Mouriê disse...

Pura explosão de intensidade!!! Adorei!

Julio Melo disse...

opa
deixei um selo pra tu no meu blog
café aq é muito bom viu....

Maria Fernanda disse...

Saudades daqui,
dos teus versos, das tuas entrelinhas.

Feliz ano novo, moça.

Carlos Henrique Leiros disse...

Alô...olá...
Tem café com leite aí?
.
Pois bem, minha cara, encontro-me já em férias merecidas, mas já devia - e de muito tempo - uma visita de cortesia. 2008 foi ano estranho, cheio de contratempos, de maneira que raras vezes pude me dedicar ao blog.
2009, contudo, parece andar por outros caminhos :]
.
Afiado o texto da vez, como sempre. E nele aquela pitada de saudosismo intransferível, como tem todo café mastigado e todo papo de calçada.
.
Abraços do
Carlos

Iasminne Fortes disse...

Café com leite e açúcar. Pra começar a prosa, digo logo que é a primeira vez que venho aqui e fiquei encantada com teu blog e tuas palavras.

Esse teu post me deu uma sensação de descoberta, devaneio... trazendo o lado lúdico misturado da realidade, ou será a realizadade com o lado lúdico?
Muitas vezes, nos encontrar fora do eixo é que nos faz 'ver e sentir' como as coisas são, de fato.

adorei ;*