terça-feira, 7 de abril de 2009

[Vi]ver.


Hoje me despeço do mundo com a lucidez de uma criança.

Olho pra trás e sorrio dos dias bem vividos.
Olho para frente e vejo um longo caminho por onde devo ir.
Meu corpo antes cansado se renova a cada dia e eu sigo.
Levo dentro de mim os amigos de uma vida e a vontade de viver sempre mais.
Sorrio, sou rio.
Estou só e sempre de passagem.
De vida, e na vida.
Quem sabe amanhã talvez.
Um dia serei luz, como aquela que brilhava nos olhos de alguém da última vez que o vi.
Hoje sou saudades.
Hoje sinto saudades.
Do que poderia ter sido e não fui.
E para que o arrependimento não me alcance, caminho sempre em frente, pois mais a frente eu sei que vou encontrar o futuro.
Talvez duas crianças como sempre quisera, talvez uma mesa pra dois onde sentará apenas um.
Talvez a casa cheia e as portas abertas, talvez.
O que me dói é que um simples talvez, um único talvez, esconde infinitas possibilidades.
Vontade de inexistir, a vida segue, o ônibus segue, e eu sorrio.


13 comentários:

Rafael Velasquez disse...

o rio que corre...
adorei, de verdade.

Smiri disse...

(Adorei seu blog ^^)

Enquanto paramos por um momento, que seja, podemos viajar em pensamentos. Os meus muitas vezes são nostalgicos...

;***

acqua disse...

Estava aqui a ler e ler o post e fiquei com aquela sensação de fim de tarde de outono, quando a gente se obriga a uma pausa e pensa, amanhã tem mais.

Ps. Tem selinho pra ti lá no Acqua.
Beijos

molin' disse...

nossa que lindo!
encantador =)
beeijos

'sorrio, sou rio' demais

cogumelo disse...

"pois mais a frente eu sei que vou encontrar o futuro."

adorei seu blog, digno de muito sucesso.

é camila, me adiciona no msn: carolm_xd@hotmail.com

Padflopes disse...

É verdade... me lembrou aquele velho ditado: "Nunca deixe para amanhã o que podemos fazer hoje."

Madrez, Mari disse...

Se eu te conhecesse, eu ia querer casar com você :}

Palomilla . disse...

É, às vezes a gente pensa tão na frente, que tudo fica longe, longe..

Um texto que traz saudades.

Thiago disse...

conversar, do igual o igual, assim desarmada. O de que um tira prazer de estar próximo. Só isto, quase; e os todos sacrifícios. Inexista, sorria, só ria. E volte.

Jaya disse...

Lua,

Eu vi. E vou ver.
Rio, e faço-me mar.
De tanta água, nunca nem transbordo, porque do azul, eu faço casa.

Saudade? É doce.
E teu sorriso, é meu, hoje.

Beijoca, frô.

Aparece?

Samir Raoni disse...

quando começo o dia com o 'café na porta' meu dia é saliva molhada de quem cavou fundo sem usar a enxada.

É interessante como o texto se formata na forma de ser. Vc começa com uma necessidade e termina com um ofício.

Talvez. a vida se faça como a fazemos!

"Talvez duas crianças como sempre quisera, talvez uma mesa pra dois onde sentará apenas um".


vc escreve bem. gosto de vim aqui.

Luis Amaral disse...

"pensando no futuro o presente mudou"

quanto tempo não?
tava pensando em algumas coisas e me lembrei do café, bom voltar, sempre encontro o que gosto. parabens!!!beijão...


ps. sim, meu e-mail mudou para lha_melo@hotmail.com

Alê Quites disse...

Precisa escrever com mais frequência.
BeijOS