sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

1.

O que se faz, quando se tem vontade de chorar? As lágrimas chegavam aos olhos com facilidade, mas ela não as deixava cair. Não, não era vergonha. Era um choro contido. Choro bandido. Escuso. Saudade? Não sabia se isso existia. Corria, por lugares, por de sóis, mares. Corria pela vida. Passado, presente, futuro. Do que viveu, e do que um dia quem sabe viveria. Cansada, não parava ainda assim. Queria chorar, e tinha medo, de que as lágrimas não tivessem fim. A vontade, era desligar o telefone, o computador, os olhos, o sentimento, o coração, a mente. Parar de tudo, inexistir. Vontade de inexistir, inexistir, existir, resistir, desistir, correr, correr, correr. Voltar, juntar o que ficou, o que restou, aquelas velhas fotos preto e branco, ainda não reveladas, juntar as sandálias trocadas, juntar as lágrimas caídas, e seguir.

1 - postagens aleatórias.
"...Pra de manhã, bem de manhã, ser cheio, leve, veia, fala, forma, santo, chão. Ó pessegueiro areja a mansidão do meu soninho. O aprumo do rio é o mar. Na casa mora a rua toda e ainda cabe o dia..." [aclimação - junio barreto]

3 comentários:

Gabi disse...

Vontade de inexistir? Existe.

Mas sempre há algo mais que nos chama de volta,penso eu.

Belo texto,como sempre.

Sabia que belo antigamente significava 'escrupulosamente verdadeiro'?

Texto belo,como nunca.

;*

Thaís Vidal disse...

Tenho sempre a sensação que estou correndo da vida, e o que é pior, em círculos...
As lágrimas e todos os sorrisos que não sorri consomem aos poucos minha vontade.
Tantas vezes quero gritar e, por um segundo inexistir também.
É quando eu fecho os olhos e percebo, sinto...que quem respira...não sou eu. E só assim eu SOU realmente e ESTOU em algum lugar...
A sensação de nuvem pesada em cima de mim sinto sempre, com todos meus desejos guardados, esperando desabar em cima de mim...

Bruno disse...

Viver. Tudo isso é viver, e ela vivia.