sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Sobre viver.

Costumava caminhar todas as manhãs pela praia. Enquanto muitos ainda dormiam, despia os sapatos e sentia o toque da areia sob os seus pés.
Caminhava, comumente perdido em pensamentos e lembranças sobre tantas e tantas coisas que já tinham passado.
Um dia, encontrou uma criança sentada na praia, de modo que deixava as ondas baterem de leve em seus pés. O olhar fixo no mar.
Passou. Andou até mais a frente. Como de costume, voltou. A criança continuava ali, imóvel.
Intrigado, sentou-se perto, também deixando as ondas a lhe banharem os pés.

Criança:
- O que me diz senhor, sobre a vida?

Velho:
- Estudei, vivi, amei e até cri. E ainda assim não tenho maiores coisas pra lhe contar, você vai ver por si só.

Criança:
- Se arrepende de algo?

Velho:
- Dos amigos que eu não pude fazer, a vida passa. Hoje estou aqui, ontem eu fui você.

Criança:
- Amanhã eu serei o senhor.

Velho:
- Invariavelmente o tempo passa. Nascemos, crescemos e morremos a cada dia.

Criança:
- E o que é a vida afinal?

Velho:
- A soma dos dias.

Criança:
- Aprendi uma expressão nova na escola, Tempus Fugit.

Velho:
- Tempus Fugit.

Criança:
- Ainda não a compreendo muito bem.

Velho:
- O tempo voa. O que você espera?

Criança:
- Eu esperava o senhor, para me contar de tudo o que vai me ocorrer na vida.

Velho:
- Eu não tenho esse saber. Mais a frente a vida lhe espera, só você é quem vai descobrir.

Criança:
- Tenho medo. Poderás vir comigo?

Velho:
- Não. O peso dos anos agora me doem no corpo. Em vida, enquanto você amanhece, eu anoiteço.

Criança:
- Eu devo ir então.

Velho:
- Sim.

A criança se levanta, os pés molhados.

Criança:
- O que me diz para a vida?

Velho:
- Carpe diem.

A criança iniciou a sua caminhada. O velho, de olhos molhados e coração leve, encerrou a sua.

14 comentários:

Carolda disse...

Adorei esse título. Enquanto o velho sobrevive, a criança vive. Ou ou dois. Acho que a vida é bem isso aí.
Um beijo

laís disse...

como já dizia fernando pessoa: "Colhe o dia, porque és ele."

Bruno disse...

O pêndulo do relógio vai e volta, tic tac tic tac. Mas o tempo só vai, tic tic tic tic.

Marquês de Par At Hibe disse...

Poxa, você tem um domínio excelente da linguagem escrita. Muito bom o texto, muito delicado e interessante. Gostei mesmo.

keila lima disse...

Todos os blogs que li hoje falam sobre o tempo....
Enquanto o relógio faz tic tac a gente fica tentando imaginar tudo, perdendo tempo nessa loucura varrida de entender o tempo.
Nada faz sentido, não é mesmo?!


Muito bom!!!

Beijos!!

João Romova disse...

Uma mistura de Carpe Diem, Rubem Alves e maranata... gostei!

Anônimo disse...

mt fraaquinho... se esforce mais da proxima vez

psf' disse...

Nooossa cara, amei.
Confesso que não gosto mt de textos que contêm diálogos, mas nesse, admito, deixei meu preconceito de lado.
Muito bom o texto, parabéns!

Eolo, Senhor dos Ventos... disse...

Na natureza dos dias, tudo se renova.
Uma hora você aguarda chegar, outrora poem-se a lembrar do que passou.
Mas deve-se sempre colher algo desses anos, viver é isso.
E quem somos? Passado ou futuro? Não importa. O presente está aqui. O passado vai deixar lembranças, e o futuro... Bem, é bom fazermos agora tudo aquilo que pretendemos lembrar um dia.

Lindo, Lua.

É bom ler você novamente, beijo.

Weimar Durand disse...

Filha minha adorada tens amadurecido muito, este dialogo é muito profundo e ao mesmo tempo no que tem de simplincidade da conversa entre o velho e a crianca,tem de serio,verdadeiro a ser vivido por cada um de nos.
Bjusssssssss
sua mae.

o velho e o mar disse...

não entendi o velho enquanto representação de jesus...

pois este deveria tranquilizar o pequenino ao reforçar que

quando essa criancinha revivesse os tempos passados
e percebesse que as pegadas do velho não mais acompanhassem as do menino nessa mesma praia

o velho deveria assim afirmar:

não há pegadas minhas ao lado das suas pois nos piores momentos eu te carreguei em meus braços!!

Cissa disse...

é sempre bizarro e assustador pensar nisso.

Manuela disse...

Adoooro andar na praia!
E adorei teu texto e teu blog! =)

Leonardo Xavier disse...

Eu gostei do texto, bem tocante.