sábado, 12 de maio de 2012

Desalento.

"...a promessa que eu fiz foi diferente, pois na volta parece que é mais perto, não há jeito melhor que o jeito certo, quem quer sombra é melhor jogar a semente, quando for dar um passo olhe pra frente, saiba bem do caminho na largada, e não vá se perder com tanta estrada, não se pode esquecer do objetivo, não há laço melhor que o afetivo, nem amparo melhor que a madrugada..."
Boa Hora - Juliano Holanda
-

Quando decidiu ir embora não pensou duas vezes, não separou roupa, não levou pertences. Apenas foi. Deixou saudades, deixou vazio, despedaçou os sonhos. Mas foi. Alguém ficou. O tempo passou.
Quis voltar mas não podia. Descobriu de fato aquilo que chamavam de saudade. Sentiu frio na alma. Chorou. Sorriu. Nunca mais sonhou.
O tempo passara. As pessoas mudaram. Tanta coisa aconteceu.

- Eu sei.
 - De novo.

- Eu sei.
- Eu não consigo acreditar.

- Eu sei.
- Uma vez é burrice, duas vezes é loucura.

- Eu sei.
- Pensei que você tinha aprendido.

- Eu também.
- Dói né?

- Eu sinto.
- Vai sentir muito mais.

- Eu sei.
- Adeus.

- ...
- ...

*escrito originalmente em 19/11/11.

Um comentário:

Janayna disse...

preciso aprender a ir, e deixar tudo pra tras. mas na verdade nem sei o que ficou, se algo ficou. eu desejei afeto e nada tive. hoje eu choro a despedida que não terei.

texto maravilhoso, verdadeiro!!!