domingo, 11 de agosto de 2013

A gosto de Deus.

Hoje.
Um bom dia para se ir embora.
Céu azul sem nuvens, sol aberto.
Vento forte, sem frio.
Pessoas celebrando a vida e a origem ancestral desta.
Pessoas perpetuando a felicidade e as datas.
Tudo parece festa.
Até o anseio em se ir.
Embora.
Embora haja esperança de outros dias azuis assim.
Todos os ciclos se repetem.
Preciso é, ir.
Embora.
Dia mais, dia menos.
Todos vamos!
Sabe, nós temos asas.
Eu vi.
Mas...
Como é voar?
Sabe?
Eu só vou saber
Quando eu me decidir
A voar.
Au revoir.

Um comentário:

Janayna disse...

lindo texto.
sentindo-se livre!
com asas.