domingo, 20 de outubro de 2013

Uníssono.

- O que você vai guardar?
- Como?

- De hoje, qual lembrança você vai guardar?
- Tudo.

- Nada em especial?
- Tudo foi especial.

- Eu vou guardar seus olhos.
- ...

- O brilho deles.
- Eu vou guardar o Tempo.

- Lembra daquela manhã a beira mar?
- Do filme preto e branco?

- Isso.
- Ainda tenho as fotos.

- Ainda tenho as lembranças.
- Foi há dez anos.

- Parece que foi ontem.
- Sempre parece.

- O que você faria, se pudesse?
- Eu pararia o tempo, pararia naquele primeiro dia, naquele silêncio em meio ao som.

- ...
- Naquele silêncio nosso, naquele fim de tarde em que o mundo pareceu parar.

- Você lembra?
- O que?

- Eu disse que ia te levar comigo um dia.
- E eu disse que não.

- E se...
- ...

- Já é tarde?
- Aparenta.

- Eu quero, eu, eu queria.
- Voltar?

- Parar.
- Eu também.

-  O tempo.
- O tempo.

- Sabe, ouvi dizer de um filme, em que a meia-noite o tempo para, e a gente pode ir a qualquer lugar do passado.
- Um filme?

- Isso, um filme. Mas, eu acredito.
- E se a gente voltasse?

- Pensei nisso.
- Seriamos os mesmos?

- No filme não.
- Na vida também não.

- Que pena.
- Tinha que ser.

- E se a gente pedisse à Deus?
- O que?

- Uma nova chance.
- Nova?

- Isso, a gente apagar o passado.
- E começar agora?

- Sim, agora. Agora parece que vai dar certo.
- E porque apagar o passado?

- Pra ser tudo novo, como uma primeira vez.
- Não sei.

- Não sabe?
- Sabe, eu acredito que tudo acontece como tem de acontecer.

- ...
- Eu queria, queria muito que tivessemos dado certo.

- Não parecia.
- ...

- Você vivia falando em acabar.
- Éramos tão jovens.

- Você tinha ânsia de viver a vida.
- Eu queria viver tudo.

- Eu fui desesperadamente apaixonado por cada centímetro seu.
- Eu nunca te esqueci.

- O tempo passou. 
- Eu nunca esqueci.

- E agora?
- Agora eu não sei.

- ...
- ...

- ...
- Acredita em mim.

- Em que?
- Eu quero.

- Pra sempre?
- Sempre.

- Tive saudades.
- Tenho saudades do nosso futuro.

- Eu nunca esqueci.
- Nem eu.

- Posso fechar os olhos?
- Me dá a mão.

 -

De olhos fechados e coração aberto, o tempo parou mais uma vez, para o amor maior do mundo, passar.

-

(faz tempo, mas eu te dei meus olhos para tomares conta, e depois disso eu nunca soube como partir)

Um comentário:

Jana Emidio disse...

que texto lindo!
emocionante.