domingo, 10 de julho de 2016

Conheço o meu lugar.

O meu lugar é dentro do coração do mundo, dentro das veias abertas da América Latina, dentro de todos os rios que correm para o mar. Ainda guardo dentro do peito todos os sonhos do mundo, e um pouco de alguém que nunca existiu.
Os dias passam de uma forma tão veloz, que há pouco eu tinha meus vinte e poucos anos, e bem sei que amanhã ao abrir os olhos terei chegado aos oitenta, ou até passado disso, é bem capaz.
Sou como Ursula Iguaran, do alto de seus mais de cento e vinte anos vividos, e das gerações de Aurelianos e Arcádios que ajudou a vir a luz, e a criar. Um dia ela percebeu que o mundo dava voltas redondas, e encontrou o verdadeiro motivo de tanta vida num sobressalto que Amaranta assustada pensou se tratar de um escorpião.
O coração, eis o que Ursula constatou, o coração, e não a cabeça, é o que realmente sustenta uma vida inteira vivida e sentida como a dela foi, e como a minha se torna a cada dia mais.


"Não! Você não me impediu de ser feliz!
Nunca jamais bateu a porta em meu nariz!
Ninguém é gente!
Nordeste é uma ficção! Nordeste nunca houve!

Não! Eu não sou do lugar dos esquecidos!
Não sou da nação dos condenados!
Não sou do sertão dos ofendidos!
Você sabe bem: Conheço o meu lugar!"

-

Referências:
Cien Anõs de Soledad - Gabriel Garcia Marquez
Conheço o meu lugar - Belchior