quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Alucinação.

"Eu não estou interessado em nenhuma teoria, nem nessas coisas do oriente, romances astrais, a minha alucinação é suportar o dia a dia, e o meu delírio é experiência com coisas reais..."

Um pequeno pedaço do universo desprendido do todo. Pela janela do carro vejo um milhão de pessoas em seus cotidianos, em suas histórias dignas de romances, em suas pequenas alegrias e seus momentos de êxtase. Quando foi que perdi dentro de mim a chave que me ligava ao mundo a minha volta? Me sinto tão destoante, tão distante, tão diferente e no mais infinitamente igual. Não, eu não quero um tratado geral sobre as certezas do porvir. Quero apenas o silêncio do amanhecer, alguma canção pra sorrir, meus pés na água rasa do mar, um pouco de vento e paz. 

Nenhum comentário: